fbpx
15.9 C
Tomar

José Rogério analisa debates eleitorais da Assembleia Municipal

Relacionadas

Igreja de S. João Baptista: conclusão das obras adiada para o final de 2022

Foi aprovada, por unanimidade, na reunião de câmara, na segunda feira, a prorrogação do prazo para a...

Mais de cem pessoas na descida do Nabão em jangadas improvisadas

Foram 115 as pessoas que participaram, no passado domingo, dia 26 de junho, na 13.ª Descida do...

CIM do Médio Tejo marcou presença em Fátima na 10.ª edição dos workshops internacionais de Turismo Religioso

A convite da Associação Empresarial Ourém-Fátima (ACISO) e em colaboração com o Município de Ourém, a CIM...

Concurso “Dá-me uma tampa!” recolhe 1067 garrafões de tampinhas

A turma A do 11.º ano da ESSMO dinamizou um projeto ao longo do ano letivo que...

Os debates organizados pelas Rádios Hertz e Cidade Tomar, entre os candidatos à Assembleia Municipal de Tomar foram um bom contributo dado à causa política, não só porque os participantes tiveram uma postura urbana (apesar das pequenas querelas), mas também porque acrescentaram alguns pontos que valorizam o órgão supremo da autarquia, o qual tem sido bastante menorizado em sucessivos mandatos.

Na realidade, verificou-se que globalmente os candidatos do CDS, PSD, PS, CDU e BE tinham um discurso estruturado e mostraram “traquejo” político, excetuando os candidatos do Chega e do Volt que demonstraram um desempenho mais limitado, pois não patentearam a “bagagem” dos restantes concorrentes.

Paralelamente, os moderadores dos debates (ou seja, os jornalistas Feliciano, Melenas e Elsa) também prestigiaram os “media” e desempenharam bem a função, já que adotaram a “agressividade” suficiente e a contundência ajustada aos diferentes momentos e ritmos da disputa eleitoral.

Entretanto, no plano do conteúdo, será essencial que os protagonistas não façam só promessas e concretizem os aspetos em que convergiram, como por exemplo: reuniões da AMT descentralizadas pelas freguesias; criação de condições físicas, técnicas e humanas para melhorar o funcionamento do órgão; apostar numa Comissão Permanente, em vez da Conferência de Líderes, para dar mais autonomia, transparência e eficiência à AMT; criar e dinamizar diversas Comissões Municipais (de saúde, do ambiente, da habitação, da educação e dos assuntos sociais) para responder a problemas concelhios.

Simultaneamente, os atores políticos expressaram concordância em outras matérias como: nas sessões ordinárias e extraordinárias, a AMT deve realizar um efetivo escrutínio e fiscalização da CMT, exercendo todas as suas competências; melhorar a “grelha de tempos” das intervenções dos deputados municipais para não penalizar os representantes dos pequenos partidos; as intervenções dos munícipes e as respostas da CMT devem ocorrer no ponto prévio da agenda da AMT, ou seja, no PAOD. (…)

Artigo completo na edição impressa de 24 de setembro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisement -

Últimas

Igreja de S. João Baptista: conclusão das obras adiada para o final de 2022

Foi aprovada, por unanimidade, na reunião de câmara, na segunda feira, a prorrogação do prazo para a...

Mais de cem pessoas na descida do Nabão em jangadas improvisadas

Foram 115 as pessoas que participaram, no passado domingo, dia 26 de junho, na 13.ª Descida do Nabão em Jangadas Improvisadas, numa...

CIM do Médio Tejo marcou presença em Fátima na 10.ª edição dos workshops internacionais de Turismo Religioso

A convite da Associação Empresarial Ourém-Fátima (ACISO) e em colaboração com o Município de Ourém, a CIM do Médio Tejo esteve mais...

Concurso “Dá-me uma tampa!” recolhe 1067 garrafões de tampinhas

A turma A do 11.º ano da ESSMO dinamizou um projeto ao longo do ano letivo que visou recolher o máximo de...

13.ª Descida do Nabão em Jangadas Improvisadas é este domingo

A 13.ª Descida do Nabão em Jangadas Improvisadas é este domingo, dia 26 de junho, numa organização do Moto Organizadora de Competição...
- Advertisement -

Mais notícias

- Advertisement -