fbpx
18.3 C
Tomar

Equipas feminina e masculina do U. Tomar subiram ao pódio do Campeonato Nacional de Clubes

Relacionadas

Expoégua: o momento em que a Golegã, a Capital do Cavalo enaltece a égua

Exposição de éguas e poldros, Romaria, Prova de Vinhos do Tejo, entre outras...

Já está definida a Comissão Central da Festa dos Tabuleiros de 2023

Já está definida a Comissão Central da Festa dos Tabuleiros de 2023, equipa que irá acompanhar o...

Regimento de Infantaria N.º 15 assinalou 216.º aniversário com exposição sobre “Os Novos Templários ao Serviço da Paz”

O Regimento de Infantaria N.º 15 (RI15), em Tomar, assinalou, no passado dia 19 de maio, o 216.º aniversário,...

Ramal de Tomar: início dos trabalhos de proteção anticorrosiva na Ponte da Bezelga

A Infraestruturas de Portugal deu início aos trabalhos de tratamento anticorrosivo na Ponte da Bezelga, localizada ao...

Leões de Tomar começaram o ‘play-off’ do campeonato com pesada derrota no Porto

Quatro dias depois da eliminação da Liga Europeia (nas meias finais, diante do Valongo, no desempate por...

Pela primeira vez na sua história, o U. Tomar apresentou-se numa fase final de um campeonato nacional de clubes com ambas as equipas, masculina e feminina.

A equipa feminina fez a sua estreia na época passada, sagrando-se logo vice-campeã nacional.

A última presença da equipa masculina datava da época de 1993/1994, tendo alcançado o quarto lugar na 2.ª divisão; na época de 1992/93 classificou-se em sétimo lugar na 2.ª divisão e em 1990/91 foi quinta colocada na 3.ª divisão.

As duas equipas unionistas tinham legítimas pretensões a um lugar no pódio, no passado fim de semana, 3 e 4 de julho, na cidade da Maia, no Campeonato Nacional da 3.ª Divisão, organizado pela Federação Portuguesa de Atletismo. No entanto, perspetivava-se uma grande luta por todos os pontos…

A primeira atleta a entrar em ação foi Carolina Félix, na prova de lançamento do martelo, onde alcançou um novo recorde pessoal de 25,79m e, consequentemente, o sexto posto, dando assim os primeiros 3 pontos à equipa feminina.

Logo de seguida aconteceu a primeira vitória para o U. Tomar: Margarida Mota obteve 8 pontos na prova de salto em altura ao realizar a sua melhor marca da época de ar livre na presente temporada – 1,64m.

Marisa Nunes correu os 100 metros em 13’’76, um novo recorde pessoal, terminando na sétima posição e acrescentando 2 pontos para a classificação coletiva.

Na prova de lançamento do disco, Carlota Gonçalves lançou o engenho (de 1kg) a 15,16m, ficando também no sétimo posto.

Beatriz Guilherme cumpriu os 400 metros em 62’’87, um novo recorde pessoal, o que lhe valeu o quinto lugar… e mais 4 pontos.

Pouco depois, Leonor Tolda correu os 1500 metros em 5’40’’07, finalizando na sexta posição.

Maria José Pinto somou mais 7 pontos ao terminar na segunda posição na prova de 3000 metros obstáculos. A marca foi de 11’42’’00, também um novo recorde pessoal.

A estafeta 4×100 metros, composta por Laura Azevedo, Mariana Pereira, Carlota Gonçalves e Beatriz Marques, terminou no quarto lugar (5 pontos), com o registo de 53’’31.

Beatriz Marques, depois da estafeta, saltou 5,00m em comprimento, que a colocaram no terceiro posto, somando 6 pontos.

Joana Esperanço foi quinta classificada (4 pontos) ao correr os 5000 metros em 19’46’’62.

Na última prova do dia, Rita Silva pulverizou o seu recorde pessoal na prova de 3000 metros marcha. Terminou com o registo de 18’41’’49, o que lhe valeu o quinto lugar e mais 4 pontos!

A equipa feminina finalizava então o primeiro dia no quinto lugar, mas ainda com tudo em aberto…

A segunda jornada foi bem mais produtiva para as cores tomarenses: Carlota Gonçalves venceu a prova de salto com vara, com o registo de 2,81m, e Beatriz Marques a de triplo-salto, passando para a liderança no último ensaio com a marca de 10,88m.

Apenas nestas duas primeiras provas da segunda jornada o U. Tomar alcançou a pontuação máxima de 16 pontos.

Seguiram-se os 3000 metros, onde Maria José Pinto voltou a estar em bom nível ao terminar em quarto lugar com o tempo de 10’52’’44, somando mais 5 pontos.

Terceira posição, e mais 6 pontos, para Beatriz Guilherme nos 400 metros barreiras: a unionista cumpriu a volta à pista em 69’’02.

Margarida Mota, com 8,28m , classificou-se no quarto posto (5 pontos) no lançamento do peso e, nos 200 metros, Maria João Alves foi sétima (2 pontos) com a marca de 29’’58.

Com um novo recorde pessoal na prova de 800 metros (2’36’’96), Leonor Tolda terminou no sétimo lugar (2 pontos).

Carolina Félix, no lançamento do dardo, alcançou o sexto posto (3 pontos) com a marca de 20,60m e Marisa Nunes correu os 100 metros barreiras em 18’’18, sendo quinta classificada (4 pontos).

Tudo em aberto para a última prova da jornada, a sempre emocionante estafeta 4×400 metros. A equipa unionista estava na segunda posição… mas em risco de sair do pódio!

Com uma brilhante prestação, a equipa composta por Mariana Pereira, Laura Azevedo, Maria José Pinto e Beatriz Guilherme terminou no segundo lugar (7 pontos) com o tempo de 4’16’’57. Ou seja, segurou a segunda posição – e o segundo vice-título nacional da 3.ª Divisão – ao terminar com o total de 97,5 pontos, mais 3,5 e 7,5 pontos que os terceiro e quarto classificados, respetivamente.

Ainda mais renhida foi a competição masculina – apenas 8 pontos separaram o terceiro do sexto classificado. E tudo se decidiu antes da última prova, os 4×400 metros.

A jornada masculina começou com os 100 metros, onde Luís Victorino alcançou um novo recorde pessoal e marca de qualificação para o Campeonato Nacional de Juvenis (no final deste mês) ao terminar em 11’’58 e no quarto lugar, somando os primeiros 5 pontos da equipa.

Eduardo Oliveira, na prova de salto em comprimento, obteve o registo de 6,35m, o que lhe valeu igualmente o quarto posto.

Afonso Santos somou 7 pontos na prova de salto com vara ao realizar a sua melhor marca do ano – 3,55m.

Recorde pessoal para Vasco Rosa nos 400 metros: correu em 52’’63 e terminou no sexto posto (3 pontos).

Manuel Dias, na prova de lançamento do peso, arremessou o engenho (de 7,260kg) a 12,59m, somando mais 5 pontos.

João Valente, que liderou grande parte da prova de 1500 metros, finalizou na segunda posição, com 4’05’’92, adicionando 7 pontos às contas gerais.

Mais 7 pontos foram conquistados pela estafeta de 4×100 metros. Ricardo Galvão, Tiago Costa, Eduardo Oliveira e Manuel Dias concluíram a volta à pista em 44’’16.

Rodrigo Graça lançou o dardo (de 800g) a 35,39m, ficando no sexto lugar (3 pontos). A mesma posição foi conquistada por Ricardo Fonseca, na prova de 5000 metros: o unionista terminou as 12 voltas e meia à pista em 16’17’’63.

André Ferreira fez o enorme esforço de participar nos 5000 metros marcha, disciplina para a qual não tem qualquer treino, acabando por ser desclassificado.

Finda a primeira jornada, o equilíbrio era maior… do que o que se veio a registar no fim!

Grandes emoções esperavam os atletas no domingo, na segunda jornada… Ricardo Saldanha lançou o martelo (de 7,26kg) a 9,50m, terminando no oitavo lugar (1 ponto); Tiago Nuno melhorou a sua marca pessoal na prova de 3000 metros obstáculos ao terminar, em 10’26’’53, no sexto lugar e somando 3 pontos; Tiago Costa, na prova de salto em altura, finalizou em terceiro (6 pontos) com o registo de 1,70m.

A primeira e única vitória (8 pontos) unionista chegou por intermédio de João Valente, na prova de 3000 metros: cruzou a meta com bastante avanço, em 8’35’’52.

No lançamento do disco, Manuel Dias lançou 37,46m, somando mais 6 pontos para o coletivo.

Pedro Saldanha estabeleceu um novo recorde pessoal na prova de 400 metros barreiras: 61’’23 e sexto lugar (3 pontos. Luís Victoriano foi igualmente sexto classificado nos 200 metros: melhorou também o seu máximo pessoal, para 23’’63, alcançando assim marca de qualificação para o Campeonato Nacional de Juvenis.

No triplo-salto, quarto lugar (5 pontos) para Eduardo Oliveira ao registar 12,71m. Vasco Rosa somou mais 6 pontos com o terceiro posto na prova de 800 metros, no tempo de 2’00’’71.

Face à lesão de Gustavo Rodrigo, o representante tomarense nos 110 metros barreiras foi Rodrigo Graça: terminou na quarta posição, com o registo de 17’’84, acrescentando 5 pontos para a equipa.

Para a última prova, os 4×400 metros, estava praticamente tudo em aberto, desde o primeiro ao último lugar. Ou seja, muitas alterações poderiam ocorrer na tabela classificativa.

A equipa composta por Pedro Saldanha, Carlos Governo, João Valente e Vasco Rosa terminou com 3’37’’92. Assegurou, assim, o terceiro lugar na prova de estafetas… e também o terceiro do pódio para o U. Tomar!

Feitas as contas, a equipa masculina terminou com um total de 97 pontos, a apenas 8 e 7 dos primeiro e segundo classificados, respetivamente. E com vantagem de 3 pontos para o quarto e de 5 para o quinto.

Concluiu-se assim um fim de semana histórico para o atletismo do U. Tomar com uma presença inédita das duas equipas, masculina e feminina, numa fase final de um campeonato nacional de clubes. E mais: a presença de ambas no pódio!.

SA UFCIT

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisement -

Últimas

Expoégua: o momento em que a Golegã, a Capital do Cavalo enaltece a égua

Exposição de éguas e poldros, Romaria, Prova de Vinhos do Tejo, entre outras...

Já está definida a Comissão Central da Festa dos Tabuleiros de 2023

Já está definida a Comissão Central da Festa dos Tabuleiros de 2023, equipa que irá acompanhar o...

Regimento de Infantaria N.º 15 assinalou 216.º aniversário com exposição sobre “Os Novos Templários ao Serviço da Paz”

O Regimento de Infantaria N.º 15 (RI15), em Tomar, assinalou, no passado dia 19 de maio, o 216.º aniversário, relembrando a data da sua criação...

Ramal de Tomar: início dos trabalhos de proteção anticorrosiva na Ponte da Bezelga

A Infraestruturas de Portugal deu início aos trabalhos de tratamento anticorrosivo na Ponte da Bezelga, localizada ao quilómetro 5,298 do Ramal de...

Leões de Tomar começaram o ‘play-off’ do campeonato com pesada derrota no Porto

Quatro dias depois da eliminação da Liga Europeia (nas meias finais, diante do Valongo, no desempate por grandes penalidades: 7-5 no total),...

U. Tomar foi avassalador diante do Cartaxo: com cabeça limpa… e pontaria afinada!

Uma goleada para a história! A equipa principal do U. Tomar goleou o Cartaxo por expressivo 10-0, no passado domingo, na antepenúltima...
- Advertisement -

Mais notícias

- Advertisement -