fbpx
12.4 C
Tomar

Quinta Casal das Freiras aposta na modernização da sua Adega

Sobejamente conhecida pelos vinhos que produz, a Quinta Casal das Freiras, em Carvalhal Grande - Tomar, tem vindo a apostar modernização da sua adega, tendo submetido um projecto ao fundo comunitário PRODER2020, através da ADIRN - Associação do Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Norte.

Relacionadas

Fátima SAD chegou ao fim… e equipa sai do Campeonato de Portugal

O desfecho já era esperado: chegou ao fim o projeto ambicioso do Fátima SAD. A equipa da...

Carlos Gonçalves deixa comando dos Bombeiros de Tomar

Carlos Gonçalves confirma que deixa o comando dos Bombeiros de Tomar e, por agora, diz não comentar...

Wasim Tana: um estrangeiro no seu próprio país que encontrou um lar em Tomar

Chama-se Wasim Tana, nasceu na Líbia, viveu algum tempo na Turquia e está há cerca de três...

Célia Bonet e Fátima Duarte candidatam-se à presidência do CIRE

Há duas listas a disputar as eleições marcadas, para dia 11 de dezembro, sexta feira, no Centro...

Covid-19: Médio Tejo soma mais 53 casos positivos

O Médio Tejo registou, no primeiro dia de dezembro, 53 novos casos positivos de pessoas infetadas com...

Sobejamente conhecida pelos vinhos que produz, a Quinta Casal das Freiras, em Carvalhal Grande – Tomar, tem vindo a apostar modernização da sua adega, tendo submetido um projecto ao fundo comunitário PRODER2020, através da ADIRN – Associação do Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Norte.

Com 180 hectares, esta quinta inclui ainda searas, olival e floresta além dos 16 hectares dedicados à vinha, implantadas em solos argilo-calcários de declive suave e ondulado com exposição a sul, onde predominam as castas nacionais.

José Vidal, proprietário da Quinta Casal das Freiras, recebeu-nos com simpatia na companhia da filha, Rita Vidal, explicando que esta é uma propriedade que tem passado de geração em geração, com muito carinho e dedicação. “Esta propriedade foi adquirida pelo meu bisavô sendo que, neste momento, estamos numa fase de transição para a quinta geração”, disse-nos. O nome desta propriedade advém de a mesma ter sido administrada por freiras até meados do século XIX.

Quando o seu bisavô a comprou, para além de vinho também se dedicou à produção de azeite, podendo ser encontradas na propriedade oliveiras milenares e um lagar do início do século XX hoje funcionando como um micro museu. “O meu bisavô era de Ovar e quando a filoxera (praga que em meados do século XIX, resultou na destruição de videiras) aparece começou a percorrer o país à procura de vinhos e toda esta zona era uma zona de produção de vinhos, sendo que numa dessas viagens encontrou esta propriedade que acabou por adquirir”, explicou.

– Notícia desenvolvida na edição que está nas bancas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisement -
- Advertisement -

Últimas

Fátima SAD chegou ao fim… e equipa sai do Campeonato de Portugal

O desfecho já era esperado: chegou ao fim o projeto ambicioso do Fátima SAD. A equipa da...

Carlos Gonçalves deixa comando dos Bombeiros de Tomar

Carlos Gonçalves confirma que deixa o comando dos Bombeiros de Tomar e, por agora, diz não comentar...

Wasim Tana: um estrangeiro no seu próprio país que encontrou um lar em Tomar

Chama-se Wasim Tana, nasceu na Líbia, viveu algum tempo na Turquia e está há cerca de três anos em Tomar, no IPT,...

Célia Bonet e Fátima Duarte candidatam-se à presidência do CIRE

Há duas listas a disputar as eleições marcadas, para dia 11 de dezembro, sexta feira, no Centro de Integração e Reabilitação de...

Covid-19: Médio Tejo soma mais 53 casos positivos

O Médio Tejo registou, no primeiro dia de dezembro, 53 novos casos positivos de pessoas infetadas com o coronavírus atingindo um total...

Dia Nacional da Imprensa a 17 de dezembro

No Dia Nacional da Imprensa, a 17 de dezembro, a Associação Portuguesa de Imprensa (API) vai apresentar online o tema “Luta contra...
- Advertisement -

Mais notícias

- Advertisement -