fbpx
32.3 C
Tomar

“O barco vai de saída” de Dornes para o Museu da Marinha em Lisboa

Relacionadas

Cem Soldos: Todos os caminhos vão dar aos Bons Sons

Lena d’Água, Rui Reininho, Aldina Duarte, B Fachada são alguns dos nomes que este ano participam no...

Hóquei em patins: Sistema de Revisão de Vídeo (SRV) é novidade na Elite Cup, de 2 a 4 de setembro, em Tomar

O sorteio da sexta edição da Elite Cup foi realizado hoje, quarta feira, ao início da tarde....

Programa “Olhá Festa” emite em directo “Viver Ferreira do Zêzere”

"Olhá Festa", que percorre o país durante o mês de agosto, será transmitido...

Fado de Coimbra na Sertã a 13 de agosto

No próximo sábado, 13 de agosto, a partir das 21h30m, o Logradouro da...

Hong Kong ainda mais próspera nos próximos cinco anos

No discurso que proferiu nas celebrações do 25.º aniversário da reintegração de Hong Kong, o Presidente chinês,...

De saída de Dornes onde foi construído de raiz pelo mestre José Alberto (o único construtor de barcos típicos do Zêzere) e com chegada simbólica à Doca do Bom Sucesso, em Lisboa, por duas etapas, uma feita por um barco igual de Dornes a Santarém e outra da simulação da chegada a Lisboa, o Museu da Marinha passou a albergar no seu valioso espólio marítimo a primeira embarcação típica de um rio, que nascendo na Serra da Estrela, abraça o Tejo, em Constância, e nas suas águas, desde tempos imemoriais, qual “cacilheiro do Tejo” circulam barcos “3 tábuas” que serve para ir à pesca, recreio e transporte de pessoas bens e animais. 

A doação foi feita pela Câmara de Ferreira, que encomendou um barco novo ao mestre Zé, depois da Associação de Marinheiros de Ferreira, numa visita ao Museu ter pensado e lançado o convite à câmara que por sua vez junto da Marinha de Guerra Portuguesa encetou contactos, para este Museu vir a ter no seu espólio um barco típico, junto de barcos de várias regiões do país, como barco da Nazaré, o Moliceiro de Aveiro, o baleeiro dos Açores e de outras regiões e barcos reais – as galeotas. 

A cerimónia, presidida pelo diretor da Comissão Cultural da Marinha – Almirante Garcia Belo e pelo diretor do Museu da Marinha Comodoro – Croca Favinha, teve lugar  no dia 22 de maio (dois dias depois do Dia da Marinha) e nela participaram membros da referida associação, autarcas de Ferreira do Zêzere e o mestre construtor, que depois de ter feito barcos há mais de 30 anos, e que hoje poucos compradores tem, jamais imaginaria que um barco saído das suas oficinas viesse a ficar em exposição permanente num museu que tem milhares de visitas de estrangeiros, amantes do mar, estudiosos, alunos e turistas nacionais.

Notícia completa na edição impressa de 28 de maio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisement -

Últimas

Cem Soldos: Todos os caminhos vão dar aos Bons Sons

Lena d’Água, Rui Reininho, Aldina Duarte, B Fachada são alguns dos nomes que este ano participam no...

Hóquei em patins: Sistema de Revisão de Vídeo (SRV) é novidade na Elite Cup, de 2 a 4 de setembro, em Tomar

O sorteio da sexta edição da Elite Cup foi realizado hoje, quarta feira, ao início da tarde....

Programa “Olhá Festa” emite em directo “Viver Ferreira do Zêzere”

"Olhá Festa", que percorre o país durante o mês de agosto, será transmitido durante o “Jornal da Noite”...

Fado de Coimbra na Sertã a 13 de agosto

No próximo sábado, 13 de agosto, a partir das 21h30m, o Logradouro da Junta de Freguesia de Pedrógão...

Hong Kong ainda mais próspera nos próximos cinco anos

No discurso que proferiu nas celebrações do 25.º aniversário da reintegração de Hong Kong, o Presidente chinês, Xi Jinping, referiu quatro objetivos...

Viver Ferreira do Zêzere de 12 a 14 de agosto com concertinas, folclore e artistas do panorama nacional

Miguel Gameiro e João Pedro Pais são dois dos músicos que vão atuar no “Viver Ferreira do Zêzere”,evento que aglomera o “depenicar”...
- Advertisement -

Mais notícias

- Advertisement -