fbpx
8.9 C
Tomar

Câmara de Tomar quer despoluição do Nabão no Plano de Recuperação e Resiliência

Relacionadas

Câmara está a articular com taxistas para facilitar transporte a quem se queira vacinar

A vacinação está a decorrer bem em Tomar e, por forma a que ninguém deixe de ser...

Sp. Tomar/IPT continua a subir: está no 12.º lugar do ranking mundial de equipas de hóquei em patins

A equipa sénior de hóquei em patins do Sp. Tomar/IPT subiu mais uma posição no ranking mundial...

Maternidade do CHMT com 834 partos em 2020

O ano de 2020 ficou marcado, na Maternidade do Centro Hospitalar do Médio Tejo, como o ano...

Faleceu Fernando Jesus, antigo provedor da Misericórdia de Tomar

Faleceu, no dia 1 de março, Fernando Jesus, 84 anos, antigo provedor da Santa Casa da Misericórdia...

Competições distritais continuam interrompidas até 16 de março

As competições distritais de futebol e futsal vão continuar paralisadas! Num comunicado, publicado hoje, segunda feira, no...
Elsa Ribeiro Gonçalves
Elsa Ribeiro Gonçalves
Nasceu em Tomar em 1976. Licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social do IP Lisboa. É jornalista desde 2005, sempre na imprensa regional. Mãe de uma menina, a escrita e as viagens são as suas outras grandes paixões.

A Câmara de Tomar promoveu na tarde de segunda-feira, 22 de fevereiro, uma conferência de imprensa para dar conta de que quer incluir a despoluição da Bacia Hidrográfica do Rio Nabão no Plano de Recuperação e Resiliência, documento onde estão plasmadas reformas estruturais fundamentais para assegurar a saída da crise pandémica e garantir um futuro resiliente para Portugal.

A presidente da autarquia, Anabela Freitas (PS), disse que esta conferência tem como objetivo convocar os tomarenses para atuar sobre a poluição do Rio Nabão. “Está a decorrer a discussão pública do Plano de Recuperação e Resiliência – sendo que para procedermos à despoluição do Rio Nabão necessitamos de um investimento de 22 milhões de euros – a Câmara vai apresentar uma proposta no âmbito da discussão publica e gostaríamos que todos os tomarenses possam também fazer a apresentação de propostas ou que usem esta proposta”, disse. A apresentação de propostas é submetida no site https://www.consultalex.gov.pt/

“É o momento certo para que todos em conjunto, tomarenses, possam fazer ouvir a sua voz no sentido de ser uma força de pressão para o Plano de Recuperação e Resiliência”, disse.

Reproduzimos, em seguida, a proposta da autarquia na integra:


PROPOSTA

Inclusão da Despoluição da Bacia Hidrográfica do Rio Nabão

Encontrando-se em discussão pública a proposta do Plano de Recuperação e Resiliência, contendo o mesmo, três dimensões: Resiliência, Transição Climática e Transição Digital, vem o Município de Tomar, apresentar a seguinte proposta com enquadramento na dimensão Resiliência e implicações na dimensão Transição Climática.

A proposta encontra-se alinhada com os pilares da União Europeia, nomeadamente na Transição Verde, Coesão Social e Territorial, Saúde e Resiliência Económica, Social e Institucional e ainda com a Agenda Estratégica Portugal 2030 na dimensão de redução de riscos e valorização dos ativos ambientais – Transição Climática e sustentabilidade dos recursos.

O Rio Nabão é um afluente do Rio Zêzere e atravessa o Concelho de Tomar. Ao longo do seu percurso existem um conjunto de infraestruturas quer sejam empresas quer sejam Estações de Tratamento de Águas Residuais que sem os sistemas devidos de tratamento constituem focos poluidores do rio.

Há décadas que o Rio Nabão tem sido alvo de episódios de poluição, estando identificadas quatro possíveis origens: Um conjunto de empresas cerca de 11 identificadas pela APA em toda a bacia do Rio Nabão ( suiniculturas, lagares de azeite e empresas ligadas ao ramo alimentar), a ETAR de Seiça construída em 2003 e gerida até janeiro de 2020 pelo município de Ourém, a não existência de sistema separativos que leva a as águas pluviais sejam encaminhadas para o sistema público de saneamento o que provoca aumento de caudal de entrada na ETAR superior ao caudal para a qual a mesma está dimensionada que  e finalmente a própria morfologia do terreno com muitos algares.

Para que se possa atuar em duas das origens foi efetuado um estudo, pela entidade Tejo Ambiente, que tem como finalidade a resolução do problema dos caudais de infiltração e foi apresentado ao Ministério do Ambiente e da Ação Climática.

O estudo apresenta as soluções técnicas para a resolução dos problemas, considerando um investimento em causa ascende aos 22 milhões de euros e envolve duas entidades: Águas Vale do Tejo e Tejo Ambiente.

O estudo com um grau de maturidade de anteprojeto, está em condições para evoluir para projeto de execução e posteriormente empreitada.

Porque:

  1. Estamos perante uma intervenção que visa dotar o território de capacidade competitiva e sustentável;
  2. Estamos perante uma intervenção que visa diminuir a pressão sobre as massas de águas superficiais e subterrâneas;
  3. Estamos perante uma intervenção que garante os caudais ecológicos no suporte dos ecossistemas;
  4. Estamos perante uma intervenção que potencia o desenvolvimento sustentável do turismo, compatibilizando a proteção e valorização do património natural com a atividade turística que é relevante no Concelho de Tomar

Solicitamos que seja incluído investimento no plano de Recuperação e Resiliência, para que possa ter continuidade noutros instrumentos financeiros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisement -

Últimas

Câmara está a articular com taxistas para facilitar transporte a quem se queira vacinar

A vacinação está a decorrer bem em Tomar e, por forma a que ninguém deixe de ser...

Sp. Tomar/IPT continua a subir: está no 12.º lugar do ranking mundial de equipas de hóquei em patins

A equipa sénior de hóquei em patins do Sp. Tomar/IPT subiu mais uma posição no ranking mundial...

Maternidade do CHMT com 834 partos em 2020

O ano de 2020 ficou marcado, na Maternidade do Centro Hospitalar do Médio Tejo, como o ano em que se ultrapassou os...

Faleceu Fernando Jesus, antigo provedor da Misericórdia de Tomar

Faleceu, no dia 1 de março, Fernando Jesus, 84 anos, antigo provedor da Santa Casa da Misericórdia de Tomar, durante mais de...

Competições distritais continuam interrompidas até 16 de março

As competições distritais de futebol e futsal vão continuar paralisadas! Num comunicado, publicado hoje, segunda feira, no seu site oficial, a Associação...

Presidente do CDS-PP ouve preocupações de empresários tomarenses

O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, esteve em Tomar na tarde desta segunda-feira, 1 de março, onde reuniu com um...
- Advertisement -

Mais notícias

- Advertisement -