Jornal Cidade de Tomar

Desenvolvimento Local na conjuntura actual


Encontramo-nos numa altura em que se fazem apelos constantes ao consumo de produtos portugueses, de apoio aos agricultores, que se façam férias cá dentro.

Estamos numa altura em que as zonas de interior, com menor densidade populacional são procuradas como refugio. Quando se avizinha uma grave crise económica que provavelmente irá alterar o paradigma da sociedade tal como a conhecíamos até há poucos meses atrás, importa refletir e encontrar novos caminhos.

A ADIRN enquanto entidade gestora dos programas de Desenvolvimento Local para o Ribatejo Norte, quer contribuir para que este território saia mais forte, mais coeso,
mais capacitado após esta crise.

Durante o atual Quadro 2020, foram apoiadas até agora dezenas de microempresas, quer através do PDR2020 quer através do SI2E – CENTRO2020. Empresas que conseguiram ultrapassar as dificuldades do excesso de burocracia desde a fase de candidatura até aos pedidos de reembolso, empresas que resistiram, por vezes meses e meses sem receber o apoio contratado, empresas que conseguiram colmatar a dificuldade de encontrar os recursos humanos indicados. Muitas delas, na fase inicial da sua atividade, com esperança e expetativa na realização do seu negócio para poder assegurar os compromissos com bancos, fornecedores e colaboradores, vêm- se de um momento para o outro privadas de exercer a sua atividade. Mesmo com grande capacidade de resiliência, caraterística destas microempresas, não é fácil o momento que se atravessa, não é fácil o momento que aí vem.

A ADIRN considera absolutamente necessário um reforço do apoio as estas empresas, em que não podemos deixar cair cinco anos de investimento de implementação de uma estratégia. Sugerimos medidas imediatas, mas também uma reflexão para o que poderá ser o futuro do Desenvolvimento Local do Ribatejo Norte.

De imediato, consideramos ser essencial:

Exit mobile version