RSS Facebook  Twitter 
Pesquisar   

 

“Se puder ajudar a vida das pessoas será ótimo”
Ana Felício/Elsa Lourenço | 2017-06-09 11:06:56
Maria da Luz
  • Entrevista de Maria da Luz, candidata do Bloco de Esquerda à Assembleia Municipal de Tomar
Cidade Tomar (CT) – É a candidata à assembleia municipal pelo Be. É militante? Maria da Luz (ML) – Sou militante há um ano. Sempre fui simpatizante do BE e pensei ‘porque não?’. Portanto são as primeiras eleições em que não vai surgir junto ao meu nome a palavra independente. Para mim estar na política é uma questão de cidadania. CT - Já foi candidata por diversas vezes à Junta da Madalena. Este é um desafio mais difícil? ML – Sim, mas a vida não é fácil para ninguém e a culpa das pessoas acharem que os políticos são todos iguais é dos próprios com os maus exemplos que dão, nomeadamente com a corrupção. Embora as pessoas tenham uma ideia contrária, a essência da política é de dádiva e generosidade. Por isso, encaro este desafio com apreensão, porque gosto de fazer as coisas bem feitas. Dou um exemplo: o estacionamento tarifado foi um bom serviço? O Bloco de Esquerda foi o único que votou contra porque a forma como foi feito não garantia eficiência. Claro que por detrás está a questão financeira, mas a câmara deve pensar mais em termos sociais, uma vez que vivemos numa cidade carenciada, com muito desemprego. CT - Só com um eleito na assembleia municipal, sente que a voz do BE faz falta? ML – A voz do BE faz falta na assembleia e em qualquer lado. Estar na assembleia tem como objetivo servir a própria assembleia e os munícipes. Por exemplo, foi o BE que propôs os transportes urbanos, conhecidos por TUT’s. Estamos satisfeitos na totalidade com o seu funcionamento? Não, mas se servem as pessoas então é importante. Dizem que não dão lucro, no entanto, dão lucro à população em geral.














Comentários