fbpx
14.1 C
Tomar

Alunos da Escola Profissional de Tomar assumem edição gráfica do livro “Baladas da Alma – A Melodia de Ser” de T.C. Aeelah

Relacionadas

Igreja de S. João Baptista: conclusão das obras adiada para o final de 2022

Foi aprovada, por unanimidade, na reunião de câmara, na segunda feira, a prorrogação do prazo para a...

Mais de cem pessoas na descida do Nabão em jangadas improvisadas

Foram 115 as pessoas que participaram, no passado domingo, dia 26 de junho, na 13.ª Descida do...

CIM do Médio Tejo marcou presença em Fátima na 10.ª edição dos workshops internacionais de Turismo Religioso

A convite da Associação Empresarial Ourém-Fátima (ACISO) e em colaboração com o Município de Ourém, a CIM...

Concurso “Dá-me uma tampa!” recolhe 1067 garrafões de tampinhas

A turma A do 11.º ano da ESSMO dinamizou um projeto ao longo do ano letivo que...
Elsa Ribeiro Gonçalves
Nasceu em Tomar em 1976. Licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social do IP Lisboa. É jornalista desde 2005, sempre na imprensa regional. Mãe de uma menina, a escrita e as viagens são as suas outras grandes paixões.

Foi apresentado na manhã de segunda-feira, 17 de maio, na Biblioteca Municipal de Tomar o livro Baladas da Alma – A Melodia de Ser de T.C. Aeelah, cuja edição gráfica (das versões portuguesa e inglesa) foi concretizada pelos alunos do 3.º ano do Curso Técnico de Artes Gráficas da Escola Profissional de Tomar (EPT).

A iniciativa partiu do cumprimento da missão da EPT, refletida no seu projeto educativo, de se constituir como uma escola oficina e que tem vindo a apostar forte na formação prática dos seus alunos, colocando-os em situação de aprendizagem prática, estabelecendo, para isso, vários protocolos com entidades da comunidade em que a escola se insere. O projeto nasceu da colaboração entre a autora e a EPT, na sequência de uma apresentação anterior, nomeadamente do livro “Ser Amor” para alunos desta escola, sendo que a EPT assumiu dar apoio a esta concretização.  

Horácio Silva, diretor da EPT, referiu que o livro tem a componente de criação, mas se não houver a outra parte esse livro poderá não existir. “Para além de um produto intelectual é um produto físico, por forma a que chegue ao máximo número de pessoas possível”, disse, acrescentando que o editor tem que ter uma equipa que está aqui corporizada no professor Luís Ferreira e nos alunos de Artes Gráficas.

Fotos: Anabela César

  • Notícia desenvolvida na próxima edição semanal

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisement -

Últimas

Igreja de S. João Baptista: conclusão das obras adiada para o final de 2022

Foi aprovada, por unanimidade, na reunião de câmara, na segunda feira, a prorrogação do prazo para a...

Mais de cem pessoas na descida do Nabão em jangadas improvisadas

Foram 115 as pessoas que participaram, no passado domingo, dia 26 de junho, na 13.ª Descida do Nabão em Jangadas Improvisadas, numa...

CIM do Médio Tejo marcou presença em Fátima na 10.ª edição dos workshops internacionais de Turismo Religioso

A convite da Associação Empresarial Ourém-Fátima (ACISO) e em colaboração com o Município de Ourém, a CIM do Médio Tejo esteve mais...

Concurso “Dá-me uma tampa!” recolhe 1067 garrafões de tampinhas

A turma A do 11.º ano da ESSMO dinamizou um projeto ao longo do ano letivo que visou recolher o máximo de...

13.ª Descida do Nabão em Jangadas Improvisadas é este domingo

A 13.ª Descida do Nabão em Jangadas Improvisadas é este domingo, dia 26 de junho, numa organização do Moto Organizadora de Competição...
- Advertisement -

Mais notícias

- Advertisement -