fbpx
15.7 C
Tomar

Wasim Tana: um estrangeiro no seu próprio país que encontrou um lar em Tomar

Relacionadas

Maria dos Anjos Esperança distinguida como profissional do ano pelo Rotary Club Tomar Cidade

Os membros de Rotary International são profissionais com destaque nas suas atividades, têm uma classificação profissional, dedicam...

“Queremos continuar a dar lazer e contribuir para a preservação dos nossos valores tradicionais”

Carlos Eira, 58 anos, é presidente da direção do CALMA - Clube de Atividades de Lazer e...

CHMT: profissionais de saúde lamentam ter ficado de fora na atribuição de prémios

Alguns funcionários do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), nomeadamente técnicos de Radiologia, estão indignados por terem...

Campeão do mundo de ski em Castelo do Bode… para um “evento inédito na Europa”

O conceituado skiador italiano Matteo Luzzeri, atleta da equipa da HO SKIS e ex-campeão do mundo, vai...

Gustavo Rodrigo e Beatriz Guilherme em bom plano nos 60 metros barreiras

A sexta jornada de Absolutos, competição organizado pela Associação Distrital de Atletismo de Leira, realizou-se no dia...
Ana Isabel Felício
Ana Isabel Felício
Comecei a trabalhar no Jornal Cidade de Tomar em 1999. Já lá vão uns anitos. Depois de sair da Universidade e de todas as dúvidas e dificuldades que surgem, foi-se construindo um caminho de experiência, com muitas situações, muitas pessoas, muitas aventuras e, claro, muito trabalho. Ao fim de todos estes anos, apesar de todos os percalços que a vida nos vai dando, cá estou, todos os dias a fazer o meu trabalho o melhor que sei, aprendendo com os que me rodeiam e também ensinando alguma coisa.

Chama-se Wasim Tana, nasceu na Líbia, viveu algum tempo na Turquia e está há cerca de três anos em Tomar, no IPT, onde é estudante/colaborador. Nesta entrevista diz que nunca pensou vir para Tomar, nunca pensou falar português e nunca pensou jogar rugby. Foi, sem dúvida, uma experiência que mudou a sua vida, pois tem 24 anos e passou toda a sua vida como estrangeiro, como cidadão estrangeiro no seu país e nos outros países, sem um lar. Aqui em Tomar sente-se bem.

Cidade Tomar – Fale-nos um pouco do seu país de origem e o ambiente que ali se vive.

Wasim Tana – Eu nasci na Líbia, o meu pai é Sírio e a minha mãe Líbia. O meu pai foi para a Líbia, conheceu a minha mãe e casaram-se. Eu vivi na Líbia até aos 18, 19 anos e depois fui para a Turquia, onde vivi até vir para Portugal. Antes de 2011, a vida era muito simples e barata, mas depois de começar a guerra tornou-se tudo mais difícil. Apesar de ter nascido na Líbia, não sou cidadão da Líbia, a nacionalidade não “passa” da mãe para os filhos, era como se fosse estrangeiro. Com o passaporte Sírio fui para a Turquia e fiquei com a nacionalidade Turca. Como já disse, antes da guerra, a vida era simples, mas muito fechada, ou seja, não sabíamos o que se passava fora do nosso país.

– É então um processo difícil conseguir a nacionalidade na Líbia?

Sim, muito complicado. Desde 2015 que não consigo voltar à Líbia, porque é necessário visto e corro o risco de ir e ficar lá sem poder sair. Em 2014, quando acabei a escola secundária, já tinha os bilhetes e tudo, mas como o aeroporto foi atacado, cancelaram os voos e fiquei ali um ano retido, só depois é que fui para a Turquia. Na Líbia falava perfeitamente a língua com o seu sotaque, mas quando se trata de algum processo, como por exemplo, tirar a carta de condução, ou candidatar-me à universidade, ou seja,  qualquer coisa a ver com o Estado, surgiam muitas dificuldades, os documentos voltavam todos para trás porque era estrangeiro. Por estas razões, sempre quis viajar.

Leia esta entrevista completa na edição impressa de 4 de dezembro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisement -

Últimas

Maria dos Anjos Esperança distinguida como profissional do ano pelo Rotary Club Tomar Cidade

Os membros de Rotary International são profissionais com destaque nas suas atividades, têm uma classificação profissional, dedicam...

“Queremos continuar a dar lazer e contribuir para a preservação dos nossos valores tradicionais”

Carlos Eira, 58 anos, é presidente da direção do CALMA - Clube de Atividades de Lazer e...

CHMT: profissionais de saúde lamentam ter ficado de fora na atribuição de prémios

Alguns funcionários do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), nomeadamente técnicos de Radiologia, estão indignados por terem sido deixados de fora na...

Campeão do mundo de ski em Castelo do Bode… para um “evento inédito na Europa”

O conceituado skiador italiano Matteo Luzzeri, atleta da equipa da HO SKIS e ex-campeão do mundo, vai estar em Castelo do Bode,...

Gustavo Rodrigo e Beatriz Guilherme em bom plano nos 60 metros barreiras

A sexta jornada de Absolutos, competição organizado pela Associação Distrital de Atletismo de Leira, realizou-se no dia 10 de janeiro, domingo, em...

Surto no Lar de S. Pedro está controlado

A exemplo do que tem acontecido com outros lares do concelho e dado o aumento de casos em Tomar, há registo de...
- Advertisement -

Mais notícias

- Advertisement -