fbpx
10.8 C
Tomar

Obra da Sinagoga de Tomar recebe Prémio Nacional de Reabilitação Urbana

Relacionadas

PSD de Tomar vai a eleições este sábado

O PSD de Tomar vai a eleições, este sábado, dia 24 de outubro,...

José Manuel Alho nomeado vice presidente da CCDR Lisboa e Vale do Tejo

A atual presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR-LVT),...

Deputados do PS questionam governo sobre EN 238 que liga Tomar, Ferreira do Zêzere e Sertã

Os deputados do PS eleitos por Santarém, a que se juntaram os deputados de Castelo Branco, apresentaram,...

Covid-19: Médio Tejo ultrapassa barreira dos 900 casos desde o início da pandemia

O Médio Tejo ultrapassou, na quinta feira, dia 22 de outubro, a barreira dos 900 casos, registando-se,...

Castelo do Bode recebeu encontro da ABVP – Associação de Bloggers de Viagem Portugueses

Instalados na Casa da Xica, Turismo Rural situado em Martinchel, nas margens da maior barragem navegável de...

A obra de recuperação da Sinagoga de Tomar, que reabriu em 2019, acaba de ser galardoada com o Prémio Nacional de Reabilitação Urbana na categoria de Melhor Intervenção de Restauro, que foi ontem entregue, no Porto.

A obra Sinagoga de Tomar e Museu Luso-Hebraico Abraão Zacuto – Projecto de Conservação e Reabilitação teve como autores os arquitectos Fernando Sanchez Salvador e Margarida Grácio Nunes, e um acompanhamento direto da arquiteta Elsa Pimenta e do engenheiro José Almeida, do Município de Tomar, entidade responsável pela execução da obra.

A atribuição deste prémio é mais uma valorização de um monumento que, mesmo antes da intervenção, era já o mais visitado da cidade a seguir ao Convento de Cristo, mas que ganhou uma nova dignidade com a obra e novos motivos de interesse com a criação do núcleo interpretativo.

Construída provavelmente no final da primeira metade do século XV, esta é a única Sinagoga edificada de raiz para o efeito em Portugal que chegou aos nossos dias. Após o édito de expulsão dos judeus, o edifício teve várias utilizações, desde cadeia a ermida católica, bem como celeiro e armazém de mercearias. Foi classificada como monumento nacional em 1921, e adquirida dois anos depois por Samuel Schwarz, judeu polaco investigador da Cultura Hebraica, que a recuperou e doou em 1939 ao Estado Português para a instalação do Museu Luso-Hebraico Abraão Zacuto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisement -
- Advertisement -

Últimas

PSD de Tomar vai a eleições este sábado

O PSD de Tomar vai a eleições, este sábado, dia 24 de outubro,...

José Manuel Alho nomeado vice presidente da CCDR Lisboa e Vale do Tejo

A atual presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR-LVT),...

Deputados do PS questionam governo sobre EN 238 que liga Tomar, Ferreira do Zêzere e Sertã

Os deputados do PS eleitos por Santarém, a que se juntaram os deputados de Castelo Branco, apresentaram, na semana passada, por escrito,...

Covid-19: Médio Tejo ultrapassa barreira dos 900 casos desde o início da pandemia

O Médio Tejo ultrapassou, na quinta feira, dia 22 de outubro, a barreira dos 900 casos, registando-se, neste dia, mais 12 novos...

Castelo do Bode recebeu encontro da ABVP – Associação de Bloggers de Viagem Portugueses

Instalados na Casa da Xica, Turismo Rural situado em Martinchel, nas margens da maior barragem navegável de Portugal, nove bloggers de viagem...

Sede da Associação de Defesa de Trabalhadores Independentes passa para Tomar

A Associação de Defesa de Trabalhadores Independentes (ADTI) reuniu em assembleia extraordinária no passado dia 10 de outubro,...
- Advertisement -

Mais notícias

- Advertisement -